Início COLUNISTAS Bayard Boiteux Coluna do Bayard: O orgulho gay, o turismo e a democracia

Coluna do Bayard: O orgulho gay, o turismo e a democracia

COMPARTILHAR

A humanidade tem nos mostrado, à cada dia, a beleza e a riqueza da diversidade. Tem nos ensinado também a importância de entendermos a complexidade do mundo através de várias formas de amar, por exemplo. O amor une 2 pessoas que passam a compartilhar momentos de grande euforia e felicidade, que encanta os corações e apazigua a tensão causada pela vida atribulada e pelo fato de termos ao nosso lado, alguém que pode nos entender e com quem interagimos diariamente sobre nossas aflições e alegrias. E fundamental que se respeite as escolhas de cada individuo e que se possa fazer delas momentos de raro prazer para a humanidade. Sim, é possível amar alguém do mesmo sexo e fazer deste sentimento uma comunhão de afeto. de família e de sobrevivência emocional. Por isso, o mundo precisa se despir de preconceitos e admitir que o mais importante é amar e ser amado, independente do sexo das pessoas.

Acabamos de celebrar o dia do Orgulho Gay, data normalmente festejada com várias atividades lúdicas, mas, sobretudo campanhas de esclarecimento. Em função da pandemia, as ações foram on line mas tiveram uma força muito grande num grupo ,que ainda sofre discriminação, inclusive de autoridades constituídas em nosso país ,que ainda não entenderam que vivemos numa democracia. O conceito de democracia nasce justamente das escolhas individuais e do respeito ao próximo. É inconcebível que uma alta autoridade de turismo teça considerações jocosas sobre a população LGTBI, mostrando não só desprezo pelas diferenças, mas desconhecendo a importância qualitativa do segmento na atividade turística e sua importância para o Brasil. Nossa cadeia produtiva de turismo tem se posicionado favoravelmente aos turistas do nicho de mercado, criando treinamentos internos para seus colaboradores. de forma que consigam se adequar melhor ao perfil do consumidor e seus anseios, quando viajam.

Trata-se de uma luta importante, a de combater a homofobia, que todos devem se engajar, independente de suas opções ou preferências sexuais. Temos que juntar esforços de todos os componentes da sociedade, num grito uníssono de que qualquer comportamento que vem a ferir nossos irmãos seja denunciado e punido com muito rigor. Vemos, com muita alegria trabalhos desenvolvidos por lideranças e movimentos que clamam por aceitação e liberdade de escolhas. Cito aqui, por exemplo, Clovis Casemiro, da Ingestão estilista Carlos Tufvesson, na atriz Jane di Castro, para citar exemplo de Embaixadores de Turismo do RJ, que colocam em suas bandeiras de vida e de promoção do Rio, o sentimento de defesa da população LGBTI. Tenho também acompanhado durante a pandemia, o trabalho de vários atores transexuais e  drag queens, como Juju Palito Azaranys, que tem feito lives de solidariedade e apoiado com rifas para a a aquisição de cestas básicas pois também se encontram sem trabalho.

 

Mostrar nossa solidariedade abertamente é um deve de todos assim como ajudar aos  muitos gays que ainda são rejeitados por suas famílias e precisam de amparo emocional. Espero que o presente texto possa despertar em cada um que nos lê ,uma nova visão da diversidade e que sejam porta vozes de um grande movimento de reconhecimento das inúmeras formas de felicidade e que se juntem ao grupo daqueles que acreditam e lutam pela dignidade das escolhas diferentes.

 

Bayard Do Coutto Boiteux é professor universitário, escritor, cidadão do mundo e atua de forma voluntária na Associação dos Embaixadores de Turismo do RJ e no Instituto Preservale.