Início Destaques Com desvalorização do real, brasileiros optam viajar para a América do Sul

Com desvalorização do real, brasileiros optam viajar para a América do Sul

COMPARTILHAR
Foto: Reprodução

Levar dólar para destinos da América do Sul é muito mais vantajoso do que comprar diretamente a moeda do país de destino no Brasil, recomendam especialistas financeiros da plataforma Meu Câmbio. Com o dólar americano em mãos, o melhor caminho é realizar a troca pela moeda local no país de destino, preferencialmente fora do aeroporto. Em estudo feito, na compra de peso argentino x compra de dólar, levar a moeda americana permite uma economia que pode chegar aproximadamente R$ 1.634,22 (ver tabela comparativa abaixo).

Por que não comprar direto a moeda do destino?

“Em função da menor demanda por estas moedas exóticas e a maior fragilidade de suas economias, as corretoras tendem a praticar spreads maiores na venda destas moedas”, explica Mathias Fischer, diretor de estratégia e inovação da plataforma.

O especialista explica que isto é normal e ocorre em função do maior tempo que estas moedas tendem a permanecer em estoque. “Dinheiro no cofre tem risco de roubo, não gera rendimentos, e o risco de uma desvalorização da moeda, como vem acontecendo com o real por exemplo, é maior”.

Veja na tabela abaixo, a economia para cada um dos países estudados:

Foto: Divulgação

Análise do aumento do dólar

Segundo Fischer, um conjunto de fatores – nacionais e internacionais – tem levado o aumento do dólar, gerando incerteza e instabilidade nos mercados:

1) nas últimas semanas, agentes econômicos preferindo alocações em economias mais consolidadas, reduzindo suas posições em ambientes voláteis, fenômeno conhecido no mercado financeiro pelo jargão “Fly to quality”;

2) O impacto do efeito coronavírus na economia global em função do papel de relevância exercido pela China

3) Eleições presidenciais dos Estados Unidos

Cotação – dia 19 de fevereiro, às 9h18, o dólar subia 0,25%, a R$ 4,3680 na venda.