Início Destaques Ecoturismo deve ser tendência para viagens mais seguras em 2021, aponta pesquisa

Ecoturismo deve ser tendência para viagens mais seguras em 2021, aponta pesquisa

COMPARTILHAR

Foto: Bonito (MS) /Divulgação

De acordo com a agência virtual de turismo ViajaNet, que monitorou o volume de buscas e de venda de passagens aéreas nacionais durante o ano passado e no começo de 2021, há uma nítida mudança nos hábitos dos turistas, apontando que as viagens ecológicas se destacam por ser uma alternativa mais segura aos brasileiros durante o período de pandemia. 

Segundo o acompanhamento da empresa o Brasil é um dos principais países no ranking de ecoturismo e se tornou uma das principais opções para os viajantes que buscam por dias de descanso longe de casa e ao mesmo tempo mantendo a segurança. De acordo com o monitoramento, viagens mais rápidas, isoladas e ecológicas, dentro do país, têm sido algumas das grandes mudanças de rota dos brasileiros e esse movimento tem sido percebido desde outubro de 2020. 

Para Gustavo Mariotto, head of marketing do ViajaNet, essa tendência deve permanecer ao longo deste ano. “Além de priorizar medidas sanitárias,  o consumidor tem buscado por viagens com propostas mais sustentáveis e ambientais, e o nosso país se destaca nesse quesito. Devido ao receio em realizar viagens internacionais, a previsão é que o turismo nacional continue crescendo durante o ano, se adaptando, pelo menos por enquanto, para a nova realidade”, analisa.

Também conhecido como ‘’turismo de isolamento’’, essa modalidade tem sido muito cogitada por uma parcela mais cautelosa da população, pois proporciona aos viajantes uma conexão com a natureza, longe de aglomerações e dentro das regras sanitárias.

Veja abaixo seis destinos que o ViajaNet destacou para a prática de ecoturismo: 

Destinos ecológicos:

Bonito, MS

Chapada Diamantina, BA

Chapada dos Veadeiros, GO

Foz do Iguaçu, PR

Brotas, SP

Jalapão, TO

Fonte: Viajanet

 Reflexos da pandemia no turismo

A pandemia causada pelo novo coronavírus continua gerando instabilidade. O setor precisou desacelerar para tentar diminuir a transmissão do vírus e buscar alternativas para manter o faturamento. Depois de meses do decreto da pandemia pela Organização Mundial da Saúde (OMS), o segmento de viagens começou, a passos lentos, ensaiar uma retomada, seguindo rígidos protocolos de distanciamento social e medidas sanitárias.