Início Destaques Mitos e verdades: Tapas Espanholas

Mitos e verdades: Tapas Espanholas

COMPARTILHAR

Tapas, uma obsessão de quem visita a Espanha. E com razão: taí um jeito gostoso e divertido e experimentar um pouco de tudo, que combina perfeitamente com o jeito boêmio de ser deste país solar e mediterrâneo. Mas nem tudo o que se ouve por aí a respeito da comida de boteco espanhola é verdade.

1. Os espanhóis comem tapa o tempo todo

Falso. O espanhol adora comer fora de casa e faz isso com muita frequência. Mas, no dia a dia, o mais típico é fazer uma boquinha em um restaurante na hora do almoço, aproveitando o menu del día (geralmente dois pratos e sobremesa a um precinho fixo e camarada). As tapas, em geral, são reservadas a momentos mais festivos, como encontros com os amigos e aos finais de semana, principalmente no calor.

2. As tapas são típicas de qualquer lugar da Espanha

Verdadeiro. Sim, você encontrará tapas em qualquer canto do país. Mas variam as receitas (e também o preço e a generosidade das porções). Uma tapa pode ser uma sardinha assada em Málaga, um espetinho de anchovas com pimenta no País Basco, um pedaço de pão com tomate na Catalunha.

3. As tapas do País Basco são um mundo à parte

Verdadeiro. Nesse pedaço do norte do país, os bares de tapas são especializados em pintxos, quitutes que, em teoria, são servidos pintxados(espetados) em um palitinho. Mas, nos últimos anos, a coisa evoluiu para uma alta gastronomia em miniatura, principalmente em cidades como San Sebastián e Bilbao, onde “irse de pintxos” é uma experiência de vida.

4. Cozinha mediterrânea é saudável – e as tapas, portanto, também

Falso. Manter a linha em um bar de tapas é um ato heroico. Ainda que você possa até se virar com umas anchovas em azeite e uma saladinha de tomate, é praticamente impossível não sucumbir a croquetes, batatas bravas (fritas com molho apimentado), lulas a dorê, tortilhas de batatas e outras tentações demoníacas.

5. As tapas são um jeito bom e barato de comer

Falso. A menos que você seja muito moderado, um pratinho leva ao outro, chama mais um drinquezinho, que engata em mais um quitute e arrasta a sua ideia inicial de só comer uma coisinha pra não gastar muito para o buraco. A grande exceção fica para o universo das tapas grátis que acompanham os drinques em alguns lugares do país, principalmente na Andaluzia.

6. Todos os bares servem tapas

Falso. Na Espanha, geralmente os bares que ficam abertos até mais tarde só servem bebida (e, vá lá, umas azeitonas). Já nos bares de tapas, o foco é a comida e nem sempre você pode entrar só para tomar um drinque. E eles raramente fecham depois da 1h da manhã. 

7. O jeito “certo” de comer tapas é compartilhando tudo

Verdadeiro. Os espanhóis dão risada dos estrangeiros que pedem dois pratos para cada um e os devoram do início ao fim. A alma da tapa é justamente dividir e socializar. E pode meter o garfo e mandar direto pra boca. Não é necessário ter um pratinho individual para servir um pouco de tudo (ainda que essa também seja uma possibilidade, principalmente nos lugares mais arrumadinhos).

8. Qualquer hora é hora de tapas

Falso. Infelizmente, na grande maioria dos bares de tapas a cozinha funciona em um horário semelhante ao dos restaurantes, abrindo na hora do almoço (13h às 16h) e do jantar (20h às 0h), com um longo intervalo entre as 16h e as 20h (aproximadamente).

9. A melhor bebida para acompanhar as tapas é a sangria

Falso. Ainda que a sangria geralmente esteja no cardápio, ela está longe de ser uma bebida tão popular na Espanha como os turistas imaginam. En geral, vinho e cerveja são os drinques mais habituais para embalar unas tapitas.

10. A tradição manda saltar de bar em bar

Falso. Madrileños curtem beliscar um pouco em cada bar, principalmente na “cena” dos arredores do mercado do Rastro aos domingos e nos botecos de La Latina. Em San Sebastián, todo mundo acaba dando uma circulada para provar os pintxos mais famosos de cada bar. Mas esse come e anda está longe de ser uma obrigação.

Fonte e Fotos: Viagem&Turismo