Início Destaques Tendências para o turismo em 2020

Tendências para o turismo em 2020

COMPARTILHAR
Foto: Divulgação

Os profissionais de turismo e hotéis em todo o mundo estão prontos para uma nova década de destinos promissores, tendências de hospitalidade cada vez mais populares e novas maneiras de experimentar as viagens de maneira consistente com sua visão de mundo. Com mais de 50 anos de experiência no setor hoteleiro de luxo, a Preferred Hotels & Resorts, compartilha suas ideias e dicas para 2020.

TURISMO CONSCIENTE

De acordo com o Relatório de Turismo Sustentável publicado pela Booking, 58% dos viajantes evitarão viajar de forma consciente para um destino se for comprovado que isso tem um impacto negativo em seus habitantes.

“As marcas de hotéis que vão além de greenwashing para demonstrar como estão minimizando sua presença social e ambiental, estão colhendo os frutos da lealdade do cliente”, diz Michelle Woodley, presidente da Preferred Hotels & Resorts.

TURISMO TRANSFORMACIONAL

Descrito pelo Transformative Travel Council (fundado em 2016) como “viajando intencionalmente para abrir horizontes, aprender e crescer em novas maneiras de ser e se relacionar com o mundo”,  2020 testemunhará que essa tendência evoluirá como um fio importante que liga outras tendências identificadas este ano. À medida que os viajantes aproveitam a natureza, a cultura e as atividades sociais para se conectarem com o seu eu interior e promovem mudanças qualitativas na sua vida, o turismo transformacional se cruzara de maneira mais assertiva com o turismo consciente, as micro férias e as viagens a cidades secundarias para se tornarem menos focados no eu e mais sobre o mundo. “Há muito tempo o turismo é usado como uma maneira de lidar com as reviravoltas da vida, um meio de lidar com grandes eventos da vida ou como uma celebração de um estágio da vida. O turismo transformacional permite que o viajante mergulhe nas virtudes da viagem, sejam elas emocionais, sociais, físicas ou espirituais. É a busca de nos tornar melhores versões de nós mesmos e, ao fazê-lo, nossa humanidade é reforçada“, diz Kristie Goshow, diretora de marketing.

MICRO-FÉRIAS (O MICRO-CATIONS)

Definidas como uma viagem de lazer que dura menos de quatro noites, as micro férias vem aumentando em popularidade entre todas as faixas etárias, à medida que os viajantes buscam oportunidades para descobrir mais destinos em menos tempo. A tendência é liderada pelos executivos milennials que vivem ocupados, que estão substituindo férias mais longas e tradicionais por intervalos mais curtos. “Em um mundo em que todos estão constantemente conectados, as micro férias oferecem uma oportunidade para recarregar suas baterias a intervalos mais curtos e frequentes”, explica Caroline Klein, vice-presidente executiva de comunicações corporativas e relações públicas.

“Passar alguns dias, mesmo tendo que responder a e-mails, ajuda a colocar as coisas em perspectiva. Eu me identifico muito com essa tendência já que eu sou a única executiva sênior milennial da Preferred Hotels & Resorts. Eu costumo tentar acrescentar alguns dias de lazer às minhas viagens de negócios internacionais para obter uma nova perspectiva daqueles cantos do mundo que talvez nunca mais visite ou que não tenha experimentado fora de um contexto de negócios”.

FAMÍLIAS LGBTQ

Com um total de 25 países na Europa e nas Américas que reconhecem legalmente o casamento entre pessoas do mesmo sexo, o setor de turismo está voltando sua atenção para o segmento de viagens da família LGBTQ. De acordo com um relatório recente da empresa de pesquisa de mercado LGBTQ Community Marketing & Insights, 85% dos pais LGBTQ com filhos menores de 18 anos passaram férias em família uma ou mais vezes no ano passado.

“Enquanto as lésbicas lideram há muito tempo as viagens da família LGBTQ, vimos um aumento notável de homens gays viajando com seus filhos, o que representa uma  oportunidade para marcas de viagem, bem posicionadas, comercializarem diretamente seus programas e experiências”, diz Rick Stiffler, vice-presidente sênior Presidente de Vendas de Lazer e embaixador do programa Preferred Pride.

INSTA-TURISMO

Não é segredo que o Brasil tem uma das maiores e mais engajadas comunidades do Instagram.  De acordo com um estudo recente da Amadeus, 40% dos usuários do Instagram com menos de 33 anos classificaram o Instagram como um fator importante na seleção do destino das suas férias e com mais de 500 milhões de usuários compartilhando uma média de 85 milhões de fotos todos os dias este aplicativo é sem dúvida a fonte mais importante de inspiração para viagens.

“Em 2020, será mais essencial do que nunca para as marcas de viagens aproveitarem efetivamente o poder do Instagram para capturar a atenção e o comprometimento do público-alvo para aumentar as reservas”, diz Lindsey Ueberroth, CEO da empresa

“Conteúdo, campanhas e colaborações devem ser projetados para atrair a Geração Z, além dos millennials, que estão começando a desenvolver sua lealdade às marcas e são super influentes no processo de decisão das férias em família”.

VIAJAR PARA CIDADES SECUNDÁRIAS

De acordo com uma pesquisa recente realizada pela Booking, mais da metade dos viajantes globais (54%) deseja participar da redução do turismo de massa, enquanto 51% mudariam seu destino por uma alternativa semelhante se tivesse um impacto ambiental positivo tão social.  Os viajantes estão começando a escolher destinos que proporcionam o mesmo charme e cultura que outros mais conhecidos.

HOSPEDAGEM DE ESTILO RESIDENCIAL

As opções residenciais continuam a aumentar sua popularidade entre todos os segmentos de viagem devido à sua capacidade de fornecer mais flexibilidade para as necessidades individuais ou de grupo, particularmente em um momento em que personalização e conforto são uma prioridade para viajantes. Em resposta, as marcas hoteleiras, especialmente os grupos de hotéis de luxo, investirão mais em 2020 em hospedagem de estilo residencial, com o objetivo de aumentar sua participação neste mercado.

“Embora os projetos de hotéis ainda estejam em expansão, mais e mais viajantes estão procurando opções de acomodação de estilo residencial, variando de vilas à beira-mar com acesso a instalações de resorts a apartamentos com serviço no centro da cidade para negócios”, explica Phillip Weghmann, vice-presidente executivo da Europa.