Início Destaques Uruguai encanta os brasileiros com suas belezas naturais e cultura vibrante

Uruguai encanta os brasileiros com suas belezas naturais e cultura vibrante

COMPARTILHAR
Palácio de Montevidéu_uruguay

Em 2018, o país recebeu mais de 466 mil brasileiros.

Por Jefferson Cruz

O Uruguai é um dos principais destinos da América Latina e considerado um dos redutos mais procurados pelos argentinos. O pequeno país com extensão territorial de 176.220km² e 3,4 milhões de habitantes tem chamado a atenção dos brasileiros por suas belezas naturais, arquitetura, cultura vibrante e rica gastronomia.

No ano passado, apenas o Brasil foi responsável por enviar ao país mais de 466 mil visitantes e uma brasileira que teve a oportunidade de conhecer a cultura local foi a radialista Roberta Legramante, 26 anos. “Eu planejava essa viagem há um bom tempo e foi muito gratificante. Me agradou o modo como o povo uruguaio trata os estrangeiros. Eles são mais empáticos do que nós brasileiros”.

Roberta Legramante / Foto: divulgação

Diferente de Legramante, a estudante universitária Giovanna Timon, 20 anos, já foi ao país em diversas ocasiões, o motivo: reencontrar os parentes que moram por lá. “Como minha família por parte de mãe mora lá, já fui várias vezes, principalmente para passar as férias de fim de ano. Todas as vezes que vou, saímos para “turistar” pelo país junto com minhas tias que moram lá e elas conhecem bem cada ponto turístico. Sempre fazemos um tour pelos lugares que não conhecemos. Eu adoro viajar para lá”.

Ao lembrar dos lugares que já conheceu, Timon lembra com carinho da Colônia do Sacramento. “É a cidade mais antiga do Uruguai e foi fundada por tropas portuguesas. O local teve um histórico de disputa entre alguns países para posse da colônia até que finalmente o Uruguai conseguiu se apropriar dela. Toda a área conserva a construção da época, como as ruas de pedra, o paralelepípedo e os azulejos portugueses. É um lugar lindo para se conhecer e tirar fotos”.

Giovanna na Colônia de Sacramento / Foto: Giovanna Timon.
Vista de uma das ruas de Colônia de Sacramneto / Foto: Giovanna Timon

Já o que encantou Legramante foi o Castelo Pittamiglio, em Montevidéu. “Quando planejei a viagem, já havia a intenção de visitar o local e fui surpreendida com a sua riqueza histórica. Além de ser um espaço conservado no meio de uma cidade, de frente para praia, é incrível a história do lugar e Humberto Pittamiglio, o alquimista que fundou o castelo, com certeza foi uma pessoa importante e visionária para a história da cidade”.

Apesar do encanto, Legramante afirma que algumas situações a incomodaram durante a curta estadia e alerta os brasileiros que pretendem visitar o país. “Existiam trechos, principalmente do Parque Rodó à Rampla que eram impossíveis de atravessar pelo fluxo de carros. Não havia um semáforo ou faixa de pedestre. Outra coisa que é bom o turista ficar atento é em relação à taxa cobrada para se sentar nas mesas de restaurante. Quando fui comer no El Palanque, um dos restaurantes mais tradicionais do “mercadão”, notei que havia muitas pessoas sentadas em fileira, perto de um balcão. A princípio, achei estranho, mas como estava com fome, só queria comer. Sentei na mesa e pedi o prato mais barato. Quando fechei a conta tive que pagar mais 20 reais porque sentei na cadeira do restaurante. Não tive muita escolha, pois estava escrito no cardápio sobre essa taxa”, comenta aos risos.

Carro antigo exposto pelas ruas de Colônia do Sacramento / Foto: Pixabay

Outra reclamação de Legramante foi o preço de alguns produtos. “O custo de vida no Uruguai está caro. Quando resolvi conhecer o país, pensei que estaria mais barato que a Argentina e baseei-me nos preços de acomodação de um aplicativo de hospedagens, mas foi ao contrário. O que eu economizei foi nas comidas de rua e no supermercado, já que na hospedagem que eu estava eu podia cozinhar”.

Já Timon afirma que os preços são típicos de uma cidade turística. “Os preços são um pouco acima das cidades menos visitadas, mas como em todo lugar, sempre há lugares mais caros e lugares mais em conta, basta pesquisar”, afirma.

“A infraestrutura é ótima, por mais que seja capital, notei que o centro não fica lotado. Me lembrou muito a Santos, uma cidade que tem a economia, cultura, mas que logo ali, não importa o que fizermos, sempre teremos a praia. Gostaria muito de voltar, tem algumas cidades mais para o interior que vale muito a pena conhecer, até mesmo a dona da casa que me hospedei falou que o país precisa de gente para trabalhar. Quem sabe um dia não consigo essa chance”, lembra Legramante aos risos.

“Eu adoro o Uruguai, não só por ter família lá, mas porque o país é muito bonito e tranquilo, gostoso para se passar as férias. Em geral, viajar para lá fica se torna muito mais seguro, pois tenho o suporte da família para qualquer coisa que precisar”, afirma Timon.

 

Pontos turísticos

Mausoléu General Artigas

O Mausoléu General Artigas é um dos pontos turísticos obrigatórios para se conhecer um pouco da história de José Gervasio Artigas, militar e herói nacional da independência uruguaia.

Plaza Independencia – Avenida 18 de Julio, Ciudad Vieja, Montevidéu, Uruguai
Visitação (Gratuita)
– Segunda-feira, das 12h às 18h.
– Terça-feira a domingo, das 10h às 18h.

Colônia do Sacramento

Localizada a 180 km de Montevidéu, Colônia do Sacramento é uma das atrações imperdíveis da região. Vale a pena reservar pelo menos um dia para conhecer este Patrimônio Histórico da Humanidade.

Monumento de los dedos, em Punta del Este.

Para quem aprecia as praias, Punta del Este é um destino que merece uma visita especial. Durante o verão, a praia fica lotada de turistas e moradores. Localizada na praia Brava, o local é um dos mais populares balneários do Uruguai.