Início Destaques Saiba os prejuízos que você pode ter sem um seguro viagem

Saiba os prejuízos que você pode ter sem um seguro viagem

COMPARTILHAR
Foto: Reprodução

Na hora de programar uma viagem, é importante resolver qual o local de destino, hospedagem, o meio de locomoção, além de pesquisar as principais atrações e atividades do lugar. Com tanto para pensar, muitas vezes o seguro viagem passa batido e acabamos sem qualquer proteção contra imprevistos simples, mas que podem estragar as férias.

A APRIL Brasil Seguro Viagem listou algumas situações que podem acabar gerando prejuízos milionários para os viajantes. Após ver esta lista, você vai entender o quão primordial é a contratação de um seguro viagem de qualidade!

Extravio de mala

Uma das coisas mais chatas que pode acontecer em uma viagem é chegar ao destino ou em casa após uma longa viagem de avião e não encontrar sua mala na esteira de bagagens. Na ida, é extremamente problemático, pois o turista acaba sem as roupas e outras coisas necessárias para a viagem; na volta, pode ser ainda mais frustrante, pois sempre há algumas comprinhas dentro da mala perdida.

Se, na ida, a mala chegar com atraso, o viajante recebe o reembolso pelos itens essenciais que tiver de comprar no período, como uma muda de roupas e produtos de higiene pessoal. Esta cobertura não tem validade para o retorno do passageiro ao destino de origem.

Caso seja informado o extravio definitivo da bagagem, o passageiro poderá receber uma indenização por parte da companhia aérea e também do seguro viagem, que faz o pagamento de mais um valor, evitando prejuízos financeiros. Esta indenização é calculada de acordo com o peso da mala quando foi despachada, respeitando o limite da cobertura contratada.

Cancelamento de viagem

Pior ainda é ter que cancelar a viagem de última hora, por motivos como a internação de um familiar; cancelamento das férias no trabalho ou a contratação em um emprego novo. Os hotéis possuem políticas variadas de reembolso, geralmente relacionadas ao tempo de antecedência com que se cancela a reserva, e isso pode significar que o viajante será cobrado mesmo sem se hospedar; o mesmo vale com as companhias aéreas, que costumam ser ainda mais rígidas em suas regras de reembolso.

Problemas em casa

Em meio às férias, o viajante recebe uma notícia de que algo aconteceu em sua casa, como um assalto. A situação já gera dor de cabeça o suficiente, sem contar o que será gasto com passagens de última hora e cancelamento do restante da viagem por precisar voltar para lidar com essa situação. Um acontecimento desses deixa qualquer um no vermelho!

No entanto, um bom seguro viagem garante o retorno do segurado a sua casa sem que precise desembolsar ainda mais por isso.

Doenças ou acidentes

A cobertura para despesas médicas e hospitalares é a mais importante do seguro viagem. Quem tem plano de saúde ou utiliza o Sistema Público de Saúde muitas vezes não percebe o tamanho dos gastos que problemas comuns podem causar, e que conseguem ser ainda maiores em outros países. Uma simples gripe pode sair muito cara em um lugar como os Estados Unidos, onde uma consulta em uma clínica pode custar até US$ 450. Males que exijam algum exame específico, como uma sinusite, que pede um raio-x da face, gera ainda mais gastos.

Com um seguro viagem de qualidade, o turista irá acionar a assistência que encontrará um médico, clínica ou hospital de sua rede de prestadores para atendê-lo, e não será necessário desembolsar nada.

Enfermidades mais longas

Caso o viajante tenha algum problema médico que peça um repouso mais longo, impedindo-o de voltar para casa na data planejada, o prejuízo virá não só no atendimento médico e tratamento necessário, mas também na alteração do voo de volta e na reserva de um hotel por mais dias.

Se viajar coberto por um seguro, o paciente poderá repousar sem preocupações, pois a seguradora irá cobrir esses gastos após a alta hospitalar.