Início Destaques Dias deliciosos na capital do Uruguai (parte 1)

Dias deliciosos na capital do Uruguai (parte 1)

COMPARTILHAR
Por: Liberado Junior

Assista a um espetáculo no Teatro Solís

Localizado bem no coração da Ciudad Vieja, a parte mais histórica da cidade, o teatro fica ao lado do moderno edifício sede da Presidência da República, na Plaza Independencia, onde também é possível apreciar a Puerta de La Ciudadela, de 1780.

Inaugurado em 1856, o Solís é o mais importante do país e conta com uma das melhores acústicas das Américas. Reformado em 2004, com tecnologia de ponta, pode receber todos os tipos de espetáculos. Por meio de uma tela gigante, é possível assistir em alta definição uma apresentação do Metropolitan Opera House, de Nova York, por exemplo.

Se não houver espetáculos em sua passagem por Montevidéu, a visita vale mesmo assim. Há um passeio guiado por jovens universitários em diversos idiomas (inclusive português), que contam a história da casa de espetáculo até com uma intervenção artística.

Dica: às quartas-feiras, o tour em espanhol é de graça.

Ali perto, é possível visitar o museu Torres Garcia, que recebeu este nome em homenagem a um dos precursores da arte moderna, o artista plástico construtivista Joaquín Torres Garcia.

Vá às feiras de artesanato

As feiras de artesanato também são várias pela cidade, como o Mercado dos Artesãos, que fica na principal avenida da cidade, a 18 de Julio, que merece ser desbravada a pé dado o grande número de galerias ao longo dela.

Aos domingos, a Feira de Tristán Narvaja, uma das mais populares, é um enorme sebo ao céu aberto, com uma infinidade de livros e antiguidades, vale a pena conferir. Aos sábados, a Plaza Constituición também tem uma.

Coma uma parrillada no Mercado Del Puerto

A gastronomia do Uruguai é um caso à parte e um ótimo programa para os apreciadores de churrasco. O país tem uma das melhores carnes do mundo. É impossível não se deliciar com os sabores da região.

Seja a picanha, o baby beef, a costela, o ojo de bife (miolo de contrafilé), ou o tradicional bife de chorizo, ao ponto, mal passado ou sangrando. Batatas, clássico acompanhamento, ao murro, fritas, souté, junto com molho vinagrete ou o tradicional chimichurri (feito com salsinha, alho, cebola, pimenta, entre outras especiarias) completam o prato.

Saborear uma tradicional parrillada tem lugar certo: Mercado Del Puerto. Inaugurado em 1868, o local é considerado o maior do tipo da América do Sul. As sobremesas, à base de doce de leite, são as mais variadas, e é difícil eleger a melhor.

Curta as praias

Às margens do Rio da Prata – que mais parece um oceano tamanha a extensão –, Montevidéu tem praias que lembram o Rio de Janeiro dos anos 1950. Uma delas, ao longo dos 40 quilômetros da La Rambla, a avenida beira-mar mais famosa da cidade, está a de Pocitos, que ganhou esse nome por ser o local onde as lavadeiras faziam poças na areia para lavar roupas.

Ela é também chamada carinhosamente de pequena Copacabana. O local é um dos bairros considerados boêmios e um dos mais valorizados da capital uruguaia. Próximo de Pocitos, está Punta Carretas, que lembra um pouco o bairro dos Jardins, em São Paulo, dada a arborização das ruas, o que as tornam bastante convidativas para caminhadas.

 

Ou seja: nosso gauchismo por lá não fica muito aparente. Mesmo assim, não deixe de exercê-lo. À moda uruguaia, claro.

Leve reais

Não feche o câmbio em dólar no Brasil para ir ao Uruguai. Leve reais em espécie e os troque nas casas de câmbio por lá. Há várias em Montevidéu em que não é cobrado taxa de câmbio, o que não deixa de ser uma boa economia já que o cartão de crédito cobra IOF (Imposto sobre Operação Financeira).

Mas, cuidado, pesquise antes, pois o valor de R$ 1 pode variar muito. Na principal avenida da cidade, a 18 de Julio, e próximo aos shoppings há várias casas de câmbio.

Agradecimentos: Oscar Iroldi, Conrad Hotel, Holiday Inn, Puerto de Rocha