Início Notícias Na China, ministro do Turismo destaca ações para atração de investimentos no...

Na China, ministro do Turismo destaca ações para atração de investimentos no Brasil

COMPARTILHAR

Em seu discurso, Álvaro Antônio destacou as principais conquistas do setor, em 2019, e mostrou oportunidades de crescimento do turismo

Atração de investimentos para o Brasil. Esse foi o foco do discurso do ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, durante a abertura do Fórum Global de Economia do Turismo (GTEF, sigla em inglês), realizada em Macau, na China. Para uma plateia repleta de empresários e especialistas do setor, o ministro compartilhou as ações já realizadas pelo Governo Federal, como a abertura das empresas aéreas ao capital estrangeiro e a isenção de vistos à países estratégicos, que estão tornando o Brasil um grande destino de visitantes e de investimentos.

“Regidos agora por uma economia eminentemente liberal, assumimos o compromisso de melhorar o ambiente de negócios, e já há várias evidências nessa direção. Temos as mudanças na legislação trabalhista, que aprimoram as condições do investimento privado, cito aqui a abertura de empresas aéreas ao capital estrangeiro, o aproveitamento dos nossos Patrimônios Mundiais, gestão compartilhada de áreas do Estado, entre outras medidas que dão confiança a quem quer investir no nosso país”, pontuou.

Ainda durante a abertura oficial do Fórum Global de Economia do Turismo, o ministro agradeceu a oportunidade de representar o Brasil como convidado de honra e reforçou as principais conquistas do setor em 2019. Entre elas está a isenção de visto para os Estados Unidos, Japão, Austrália e Canadá, e a abertura do capital estrangeiro ao setor aéreo com a chegada das low costs ao Brasil. “Estou aqui para estreitar o relacionamento com a China, que é o maior parceiro comercial do nosso país”, concluiu.

Além da abertura, Álvaro Antônio, junto ao ministro do Turismo da Argentina, Gustavo Santos, concedeu uma entrevista coletiva com a imprensa local, e tratou de assuntos como o aumento do fluxo de chineses para o Brasil; Macau como destino para brasileiros conhecerem a China e possibilidades para tornar o ambiente de negócios do Brasil juridicamente seguro para facilitar investimentos de longo prazo.

“O trabalho em conjunto entre os países do Mercosul vai entregar produtos do setor interessantíssimos aos turistas de longa distância. Nosso objetivo é facilitar esse intercâmbio entre a China e o Brasil”, disse o ministro do turismo brasileiro. Macau e Brasil já têm isenção de visto há 20 anos. O objetivo é a ampliação de 3 para 12 visa centers em um acordo de cooperação entre o Itamaraty e o MTur.

Após a coletiva de imprensa, os ministros do Brasil e Argentina foram peças-chave de um almoço em homenagem aos países. Na ocasião, Marcelo Álvaro Antônio direcionou o seu breve discurso aos investidores presentes e reforçou a abertura de mercado em um novo momento que o Brasil vive. “Nós temos grandes destinos que interessam os chineses como o Pantanal, Foz do Iguaçu e também oferecemos uma oportunidade grande no turismo de negócios”, afirmou.

Neste ano, além de ter o Brasil, a Argentina e a província chinesa de Jiangsu como homenageados, a organização aposta em promover, pela primeira vez, a Conferência Mundial de Investimento e Financiamento do Turismo, na qual participam especialistas em investimento e líderes do turismo de topo a nível mundial.

SOBRE A CHINA

O país oriental é um dos que mais emitem turistas para o mundo. Hoje, dos mais de 141 milhões de chineses que viajam todo ano, cerca de 60 mil escolhem o Brasil como destino, tendo como principais motivações o turismo de negócios e o ecoturismo. Dados do Perfil da Demanda Turística Internacional, do Ministério do Turismo, mostram que os chineses movimentam, por dia, cerca de US$ 65. Destinos como São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ), Foz do Iguaçu (PR) e Manaus (AM) são alguns dos mais visitados por eles.