Início Informação Saiba se planejar financeiramente para viajar

    Saiba se planejar financeiramente para viajar

    COMPARTILHAR

    Realizar viagens, tanto sozinho, quanto em família, requer certos cuidados. Um dos principais requisitos para qualquer passeio é um bom planejamento e para que isso ocorra é necessário antecedência. Porém, existe um planejamento específico que todos devem estar atentos e é o fator mais importante na hora de viajar: o financeiro.  

    Para que não passar nenhum aperto, o viajante precisa ter em mente que planejar o dinheiro e saber pesquisar são dois itens indispensáveis para quem quer curtir um passeio. É necessário buscar os melhores os preços de estadia, passagem e hospedagem. Nas agências de viagens brasileiras, o câmbio é fechado na data da reserva e é possível parcelar, em alguns casos, em até 10 ou 12 vezes, em reais. Com isso se evita, além de alta dos preços de bilhete aéreo e hospedagem, possível oscilação do dólar ao longo do ano. 

    Quando se faz a reserva um ano antes, é possível embarcar com a família tendo quitado a maior parte da viagem. E isso é um alívio. Mas, para a economia continuar valendo a pena, é preciso também ficar de olho em dois pontos específicos: como pretende levar dólares para gastos extras, como alimentação; e o que fazer se tiver algum imprevisto, como acidente ou doença durante a viagem. 

    Dólares no bolso: O primeiro passo é garantir uma reserva em dólares adequada ao padrão de despesas da sua família e à quantidade de compras que gostariam de fazer. Há basicamente três formas de utilizar moeda estrangeira no exterior: em espécie (dinheiro), cartão pré-pago ou cartão de crédito internacional. 

    Dinheiro em espécie: é sempre bom ter uma quantidade razoável de dólares em espécie no bolso. Algo como 50% do total de gastos planejados. Embora existam formas de sacar dinheiro eletronicamente, há sempre aquele momento em que você precisa do dinheiro justamente em um local em que não há um ATM (autoatendimento) ou pode aproveitar uma oportunidade de compra por pagar em dinheiro. A compra de dólar em espécie requer alguns cuidados. O primeiro deles é recorrer a um banco ou casa de câmbio confiáveis, que garantirão que o dinheiro foi testado (é, infelizmente há muito dólar falso no mercado). Mas então por que não levar tudo em espécie? Pois como qualquer item físico, o dinheiro pode ser perdido ou roubado ao longo da viagem. 

    Cartões pré-pagos: são parecidos com cartões de crédito, mas abastecidos com moedas estrangeiras. Após a aquisição do cartão magnético, o cliente o abastece com um saldo determinado, já indicando a moeda (ou moedas) que pretende utilizar, e pode fazer compras ou saques no exterior. 

    Cartão de crédito internacional: se você é portador de um cartão de crédito internacional, não deixe de levá-lo para a viagem, especialmente para utilizar em emergências. Mas dê preferência à utilização do pré-pago. 

    Há ainda outra questão: atualmente o câmbio é fechado no dia do fechamento da fatura. Ou seja: se ao voltar de viagem você tiver que pagar a fatura em um período em que o dólar está em alta, acabará pagando mais caro. Em março de 2020, por determinação do Banco Central, esta regra vai mudar: o câmbio será o equivalente ao da data da compra, o que permitirá saber de antemão o valor da despesa. 

    Atenção: todas as modalidades de compra de moeda estrangeira pagam o chamado Imposto sobre Operações Financeiras, que é igual no cartão pré-pago ou de crédito (6,38 %) e menor na compra de dólar em espécie (1,10%).