Início Destaques Viajando sobre duas rodas

Viajando sobre duas rodas

COMPARTILHAR

Uma pesquisa feita por um aplicativo de viagens, com base nas compras de passagens e pacotes de 2017 para 2018, registrou um aumento de 16% nas viagens dentro do Brasil, sendo 26% pacotes internacionais. Esses dados mostram o quanto viajar tem se tornado um desejo das pessoas.

Na contramão deste tipo de viagem que citamos, vamos contar a história do português Manuel Montes, 28 anos, que iniciou seu roteiro de viagem e conhecimento pelo mundo em 2015 e não parou até hoje. Neste final de semana, sua parada foi aqui no Litoral. Conheceu a Região e enfrentou, até mesmo, a enchente que atingiu a cidade de São Vicente, onde ele ficou hospedado.
Militar das forças armadas, Montes conta que começou a perceber o quanto poderia agregar conhecimento viajando pelo mundo. Decidiu se licenciar do serviço por 3 meses e definiu como seu primeiro roteiro: conhecer a Europa.

Lost o cachorro que foi encontrado na Sérvia e viajou por 11 países, até Portugal

Seu desafio foi mais além. Suas aventuras sempre são feitas em cima de duas rodas. “Quando criança andava (de bicicleta), quando pensei em viajar de forma diferente e ecológica, surgiu a ideia da bicicleta, total autonomia na viagem”, conta.
Entre tantos lugares pelos quais já passou, conheceu o cachorro Lost . “O meu Lost apanhei na Sérvia, na primeira viagem que fiz. Encontrei ele na montanha perdido, cheio de fome e frio, provavelmente foi abandonado. Ele não teria mais que duas semanas de vida, bem nesse instante eu pensei, ‘E agora? Não te posso deixar aqui’ e assim foi. Viajamos por 11 países, durante um mês.” Hoje enquanto ele viaja o Lost está com a irmã em Portugal.

Planejar seu caminho não é uma prática do ciclista. Ele conta que quando vai viajar, sai pedalando e, algumas vezes, sem destino. Quando cansa procura uma hospedagem barata ou monta uma tenda para dormir.
Para ele as viagens o tornaram uma pessoa melhor, aprendeu a dar valor às pequenas coisas da vida. “Antes de falar é melhor ver como é, porque não existe uma verdade absoluta”, define.
Atualmente não pensa em criar raízes e, sim, continuar viajando. O Brasil está entre suas opções de lugares para morar.