Início Destaques Veneza começará a cobrar ingresso de turistas

Veneza começará a cobrar ingresso de turistas

COMPARTILHAR

A cidade de Veneza vem sofrendo nos últimos anos com o alto fluxo de turistas. Segundo os residentes, os turistas ficam pouco tempo, não consomem o suficiente para melhorar a economia e geram mais despesas para manter a cidade limpa.

Para contornar a situação, o prefeito Luigi Brugnaro anunciou nesta semana a cobrança de ingresso para turistas. O valor inicial será de três euros e a cobrança deve começar em maio deste ano.

A proposta é aumentar o valor cobrado para seis euros, em 2020, podendo chegar a dez euros, dependendo do fluxo de turistas na cidade. Essa “taxa de embarque” já existe em algumas pequenas ilhas italianas. “Não queremos obter lucro”, ressalvou Brugnaro. Segundo o prefeito, a intenção é gerar verba para ajudar a manter a cidade limpa.

Moradores já vêm reclamado que a cidade de Veneza tem perdido muito com o alto fluxo de turistas, que impacta bastante na vida das poucas pessoas que optaram por continuar residindo na cidade, já que a maioria das casas se tornaram estabelecimentos e hotéis. Um dos principais pontos apontados pelos moradores é o excesso de cruzeiros, que levam milhares de turistas para Veneza por poucas horas.

O prefeito afirmou que quem se hospedar na cidade ficará isento dessa cobrança, visto que quem passa alguns dias em Veneza precisa pagar uma taxa de hospedagem. Essas taxas geram um lucro de 30 milhões de euros por ano para as autoridades.

O centro histórico de Veneza tem aproximadamente 50 mil habitantes e é visitado por 30 milhões de turistas todos os anos. Apenas 20% pernoitam na área.

Através de cálculos, as autoridades locais afirmaram que uma cobrança de cinco euros por pessoa geraria um lucro de até 50 milhões de euros por ano. As companhias que transportam os turistas seriam as responsáveis por receber o valor e repassar aos cofres públicos.

O turismo em massa vem sido cada vez mais criticado por moradores de grandes cidades europeias como Barcelona e Amsterdã. Entre as principais reclamações, está o encarecimento dos alugueis e a descaracterização da cidade.

A decisão de Veneza sobre a nova taxa foi apoiada pelo prefeito de Florença, Dario Nardella. “Serve para equilibrar os custos para a comunidade, considerando que o funcionamento das cidades artísticas recai sobre os ombros dos contribuintes”, relatou Nardella. Florença também atrai milhares de turistas por ano.